Fala, irrigante!"Para o agricultor ter mais segurança na sua produção, precisa investir em irrigação

Atualizado: Jul 16

Bruno Henrique Corrêa tem 20 anos. É nascido e criado no campo, na cidade de Itaí (SP). Ele fez colégio técnico em agropecuária e, atualmente, estuda engenharia agronômica na ESALQ/USP. Filho de produtor rural, o Sr. José Henrique Corrêa, ele conta que consegue aplicar na lavoura os conhecimentos adquiridos na faculdade. "Trabalho em sinergia com meu pai, eu com a parte técnica, ele com a execução."

Nesta entrevista, Bruno conta de que forma a irrigação ajuda ele e seu pai a obter melhores resultados no campo, com segurança na produção, produtividade mais homogênea e maior estabilidade econômica. Confira!

Como começou a história da sua família com agricultura?

Nossa trajetória começou há cerca de 25 anos com meu pai, em uma área bem pequena, de 2,5 hectares. Ele foi tocando o negócio, em 2008 comprou o primeiro trator novo, depois adquiriu mais terras, mais equipamentos e expandiu. Em 2018, compramos o primeiro pivô novo da Irrigabras. Estamos atualmente com 400 hectares, envolvendo as principais culturas: soja, feijão, milho, sorgo, trigo, aveia, melancia, abóbora, e também trabalhando com plantas de coberturas, principalmente braquiária, além de um pouco de pecuária.

Como é a sua relação com o campo?

Fui nascido e criado no sítio, fiz colégio técnico em agropecuária, atualmente estou estudando engenharia agronômica na ESALQ, e os conhecimentos adquiridos eu aplico lá. Trabalho em sinergia com meu pai, eu com a parte técnica, ele com a execução.

Por que vocês optaram pelo uso da irrigação?

Por trabalhar com o feijão principalmente, que intensifica o manejo, optamos por adquirir o pivô, assim conseguimos fazer três culturas em um ano e duas no outro, fazendo soja, milho e feijão nesse sistema. O pivô central consegue abranger áreas maiores e é mais fácil de ser trabalhado.

Quais são os principais ganhos que você observa?

Os principais ganhos da irrigação são a possibilidade de intensificação de sistema, ao trabalhar com duas ou três culturas dentro do ano agrícola e também a redução do estresse hídrico.

Agricultura é uma fábrica a céu aberto, onde quem manda em boa parte é o clima. Cada ano é muito diferente do outro. Então, para o agricultor ter mais segurança na sua produção, precisa investir em irrigação. Isso dá uma estabilidade econômica melhor que permite investir mais. No nosso caso é o feijão, que é o carro-chefe com lavoura irrigada. Produzimos em área bem menor do que a soja, por ser só irrigado, mas a receita que ele dá é em um momento muito bom, entre outubro e novembro, quando estamos sem caixa, o que ajuda a acertar as contas da soja. Dá um fluxo de caixa importante. E isso é possível graças à lavoura irrigada.


Bruno Henrique Corrêa e seu pai são atendidos pela revenda autorizada regional Ruralpec Sistemas de Irrigação, que conta com técnicos especializados para elaboração de projetos, montagem dos equipamentos e assistência técnica.

A Irrigabras Irrigação do Brasil Ltda., sediada em Barueri-SP, está presente no mercado brasileiro desde 1985 oferecendo excelência na fabricação de equipamentos e acessórios para irrigação por aspersão. Para mais informações sobre a Irrigabras, visite www.irrigabras.com.br ou ligue para 11 2842-6464.